Fale Conosco

Conteúdo atualizado em 19.03.2020


Fono da FOB-USP é premiada na África do Sul

Luís Victorelli
14/11/2018

Fono da FOB-USP é premiada na África do Sul

O trabalho científico intitulado “Mobile Based Assistive Listening System (MoBALS): resultados de indivíduos com perda de audição sensorioneural de grau leve”, do curso de Fonoaudiologia da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (FOB-USP), conquistou o primeiro lugar no 34º Congresso Mundial de Audiologia realizado na Cidade do Cabo, África do Sul.

A pesquisa recebeu o Prêmio Melhor Pôster do Programa de Audiologia. Os estudos foram realizados durante a tese de Doutorado da fonoaudióloga Fabiana de Souza Pinto Azenha, no Programa de Pós Graduação em Fonoaudiologia, linha de pesquisa Telessaúde em Fonoaudiologia. A orientação acadêmica foi da professora Deborah Viviane Ferrari, idealizadora do aplicativo MoBALS, e apresentadora do trabalho.

Também autor, o Engenheiro Esteban Alejandro Lopez, aluno do Programa de Doutorado Interunidades em Bioengenharia (USP São Carlos) foi o desenvolvedor do aplicativo MoBALS. O trabalho premiado faz parte de um projeto maior, a Bolsa de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora CNPq, desenvolvido pela professora Deborah.

O 34º Congresso Mundial de Audiologia teve como organizadores a International Society of Audiology, South African Association of Audiology
South African Speech and Hearing Association e South African Society of Othorinolaryngology Head and Neck Surgery. Ocorreu de 28 a 31 de outubro de 2018. A cerimônia de premiação aconteceu no dia 30/10.

Para a autora Fabiana, a premiação representa um importante reconhecimento e visibilidade para o aplicativo MoBALS, assim como de todo trabalho desenvolvido. “Vale a pena acreditar em nosso trabalho, que ele tem valor no exterior, assim como de qualquer outro país, uma vez que concorreu a prêmio com outros 15 pôsteres submetidos e previamente selecionados pelo evento”.

A professora Deborah informa que o prêmio significa o reconhecimento de um esforço coletivo e, ao mesmo tempo, um incentivo para a continuidade dos projetos nesta linha de pesquisa.  “A expectativa é que esse reconhecimento possa abrir outras portas para a condução de estudos que levem ao aprimoramento do aplicativo MoBALS assim como o desenvolvimento de outras soluções baseadas em saúde móvel (m-saúde ou mHealth), como um elemento chave para democratização do acesso à saúde”.

O trabalho científico

O trabalho foi apresentado em dois formatos:  pôster eletrônico (e-poster) como  trabalho na íntegra e por sessão oral, com 5 minutos de duração, para que fossem apresentados os principais resultados. Segundo dados divulgados no evento, dos 450 trabalhos enviados, 16 foram considerados para premiação. Destes, o trabalho da USP obteve o primeiro lugar.

A premiação, segundo a orientadora, se deveu pela problemática analisada e a solução proposta. A perda auditiva de grau leve é a de maior incidência no mundo todo. Grande parte destas pessoas afetadas sofrem dificuldades comunicativas, sobretudo em locais onde a acústica do ambiente é desfavorável (ex: presença de ruído, eco, distancia entre falantes).

O aplicativo desenvolvido (MoBALS) é gratuito, sendo instalado em pelo menos dois smartphones (de custo acessível) sendo um configurado para funcionar como um microfone transmissor (posicionado com o falante) e outro (ou mais) configurados como receptores, posicionados com o(s) ouvinte(s).

A transmissão ocorre por meio de wi-fi, mas não é necessária a conexão à internet. Por meio desta transmissão sem fio é diminuída a distância entre falante e ouvinte, permitindo, por consequência, a melhoria da comunicação. A  pesquisa clinica mostrou que os resultados de entendimento da fala na presença de ruído obtidos com o MoBALS foram iguais as obtidos com tecnologias assistivas comercialmente disponíveis e que possuem alto custo.

Soluções inovadoras

“A FOB-USP sempre foi produtora de conhecimento de ponta. Esta premiação é relevante e oportuna, no momento em que se discute a pesquisa e desenvolvimento de soluções inovadoras e eficazes, e que respondam aos desafios da saúde global, como é o caso da deficiência auditiva”, destacou a orientadora Deborah Viviane Ferrari.
 
A autora Fabiana de Souza Pinto Azenha observou que a faculdade bauruense é um centro de excelência e referência na área da Fonoaudiologia. “Esse prêmio fortalece ainda mais esse título, incentivando seus pesquisadores e estimulando a procura desse Campus por mais profissionais e alunos”, concluiu.

Outros trabalhos estão em desenvolvimento com o MoBALS, visando outras populações, assim como o aprimoramento do aplicativo. Um deles, em andamento, está avaliando a utilização do MoBALS com usuários de implante coclear. Também estão programados estudos que avaliem a utilização do aplicativo em vida diária, para a obtenção de outros dados relativos à sua efetividade prática.

Foto (Divulgação): Professora Deborah Viviane Ferrari e pesquisadora Fabiana de Souza Pinto Azenha, ambas do Programa de Pós-Graduação em Fonoaudiologia da FOB-USP.

imprimir





 Envie sua sugestão de notícia