Fale Conosco

Conteúdo atualizado em 19.03.2020


FOB/USP realiza 2ª Expedição Ribeirinha

Marianne Ramalho, Assessoria de Comunicação da PUSP-B
08/09/2014

FOB/USP realiza 2ª Expedição Ribeirinha

No dia 8 de setembro, às 13h, o avião C130 (Hércules) da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou do Aeroporto “Moussa Tobias” em Arealva, rumo a Porto Velho, capital de Rondônia, com 35 integrantes da 2ª Expedição Ribeirinha do Projeto FOB/USP em Rondônia.

São coordenadores do projeto os professores doutores da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP), Magali de Lourdes Caldana e José Roberto de Magalhães Bastos, com supervisão geral de três docentes incluindo o professor Roosevelt da Silva Bastos.

A expedição é integrada por 35 pessoas, entre funcionários técnicos, professores e alunos de graduação e de pós-graduação da FOB/USP dos cursos de odontologia e fonoaudiologia.

Segundo José Roberto de Magalhães Bastos, a viagem é longa e será executada com alunos de graduação e de pós-graduação, com a finalidade de colaborar com o Instituto de Ciências Biomédicas (ICB5-RO) em atividades de extensão, educativas, preventivas e clínicas, com benefícios a população de Calama, distrito longínquo de Porto Velho na divisa com o Estado do Amazonas, via rio Madeira.

Serão realizadas mais de 10 horas de viagem de barco de Porto Velho para Calama. Os integrantes da expedição irão dormir no barco, em redes ou barracas, durante toda a viagem. Não há previsão de se dormir em terra firme.

O retorno acontecerá no dia 12 de setembro à noite, com saída prevista pela FAB, no Aeroporto Militar, em Porto Velho, no dia 13 de setembro. Segundo o coordenador do projeto, os horários não são muito fixos e dependem da disponibilidade da FAB.

Bastos informa que devido ao curto período de atenção clínica e de uma população extremamente carente na área da saúde, numa região que acaba de sair de uma inundação, onde o rio Madeira subiu 21 metros, acima de seu nível, estão previstas atividades clínicas emergenciais, com extrações dentárias e restaurações, atividades educativas e preventivas nas escolas e distribuição de brinquedos para as crianças que perderam o pouco que tinham na inundação.

Segundo informações locais, o rio Madeira voltou a subir (mais dois metros) nesta semana. Na área de fonoaudiologia será realizado um trabalho voltado para promoção de saúde nas escolas, com orientação para pais e professores, avaliações fonoaudiológicas e adaptações de aparelhos auditivos em pacientes já atendidos durante a 1ª expedição realizada em 2013, além do atendimento de novos pacientes.

O coordenador do projeto faz uma análise dos benefícios desta iniciativa: “O ganho para os alunos é inestimável, tanto na área acadêmica e profissional, quanto na inserção da visão do gigante que é o nosso país, quanto na área pessoal. Para a USP gera uma visibilidade não somente em solo paulista, mas também em rincões nacionais onde o Brasil de "ponta" ainda não chegou. Para a população da região de Calama há uma pequena fresta onde se vislumbra que há uma instituição que busca resultados na área da saúde, levando um atendimento onde a esperança em um país melhor está chegando aos poucos. A felicidade fica sempre estampada no rosto de cidadãos que são brasileiros e necessitam tanto de cuidados odontológicos e fonoaudiológicos.”

Foto: Atividade educativa e preventiva em escola da região

imprimir





 Envie sua sugestão de notícia