Fale Conosco

Conteúdo atualizado em 19.03.2020


Extramuros da FOB busca contato com realidade social

Luís Victorelli
22/12/2010

Extramuros da FOB busca contato com realidade social

Voltado para a saúde coletiva, o serviço da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (FOB-USP) aproxima alunos com a realidade social

Criado em 1975, o projeto nasceu com o objetivo de proporcionar ao aluno um contato direto com realidade social de Bauru. Atualmente, desenvolve ações de prevenção de saúde bucal em duas Áreas de Treinamento de Campo (ATCs) em Bauru: ATC “Rosa Mondelli”, na Casa do Garoto, parque Vista Alegre, e ATC “Professor Alberto Brandão de Rezende, na creche Rodrigues de Abreu, bairro Redentor.

Participam das atividades os alunos de graduação do 3º e 4º anos do curso de Odontologia e professores e técnicos de Higiene Dental da área de Saúde Coletiva da FOB/USP. A supervisão clínica é da cirurgiã-dentista Selma de Campos Passanezi, servidora municipal designada para atuar no projeto junto à universidade. Para José Roberto de Magalhães Bastos, professor do Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva da FOB e coordenador do programa, “quando o aluno vai a campo, ele passa a perceber que há um universo, lá fora, onde há uma população composta por cidadãos, pessoas comuns, como eles mesmos, como todos nós”.

Passanezi informa que são atendidos, além dos alunos matriculados nestas unidades, também seus familiares e membros das comunidades vizinhas. No local e em visitas domiciliares são realizadas ações de orientação sobre saúde da boca, levantamento das condições sociais da população e atendimento clínico.

Como parte das ações de extensão, os alunos também participam dos programas “Sorria Bauru” envolvendo universidades, escolas e Secretaria Municipal da Saúde, e “Sala de Espera” em parceria com o Curso de Fonoaudiologia, atendendo usuários do Centro de Saúde I do SUS. Na ATC Rosa Mondelli há o Projeto Ortodôntico, que instalou mais de 40 aparelhos em pacientes. Os programas extramuros também contribuem com a produção de trabalhos científicos desenvolvidos pela pós-graduação da FOB.

A ex-aluna dos programas extramuros e atual professora de Periodontia da FOB-USP, Carla Andreotti Damante, reconhece a importância para a sua vida e carreira de ter participado do projeto. “Nesse ambiente é possível conviver com as dificuldades e problemas desses pacientes e conhecer sua história de vida, o que seria mais difícil de obter numa clínica de faculdade. Aliás, muitos deles não teriam nem condições de procurar a FOB para atendimento, pois seus pais trabalham o dia todo e não tem disponibilidade de trazer a criança semanalmente para tratamento. Outra vantagem é que as crianças acostumam desde muito novas a ir ao dentista, sendo que algumas delas até ‘simulam’ uma dorzinha de dente para saírem da aula e visitarem os consultórios. Como ex-aluna da FOB, posso relatar que as lembranças da área de campo são muito boas e toda aquela experiência me fez crescer mais como pessoa e profissional”.

A técnica de Higiene Dental da FOB, Helena Maria Mancoso Negrão Mantovani, informa que nos últimos dez anos as ATCs realizaram 19.503 procedimentos clínicos em 5.318 pacientes. No programa Sorria Bauru foram atendidas 11.403 crianças com atividades de orientação para a prevenção da saúde bucal.

Bastos lembra que o oferecimento de atendimentos populacionais, em todas as áreas do saber, aproxima  a universidade do cidadão comum, fechando assim uma filosofia que vem dando certo faz tempo e que, nos recentes anos, tem se aprofundado como conceito interno: a USP tende a formar um profissional cada vez melhor e cada vez mais próximo de suas comunidades. “A extensão universitária é uma prova maior de que a USP está seriamente comprometida com os destinos paulistas e com os destinos da Nação”, conclui.

imprimir





 Envie sua sugestão de notícia