Fale Conosco

Conteúdo atualizado em 19.03.2020


Pesquisador apresenta aparelho que evita dores orofaciais

Marianne Ramalho, Assessora de Comunicação da CCB/USP
04/05/2011

Pesquisador apresenta aparelho que evita dores orofaciais

Até o dia 5 de maio, a Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP) conta com a presença de Peter Svensson, professor e pesquisador da Universidade de Aarhus, na Dinamarca, como professor visitante do Programa de Pós-Graduação em Ciências Odontológicas Aplicadas da FOB/USP.


Svensson ministra a disciplina “Dores Orofaciais: Pesquisa e Clínica” em conjunto com Paulo César Rodrigues Conti, professor titular do Departamento de Prótese e presidente da Comissão de Pós-Graduação da FOB/USP, para alunos de mestrado e doutorado interessados na área.


Esta é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da USP. O objetivo é trazer para os pesquisadores da FOB e alunos, novidades no campo das dores orofaciais, em relação a diagnóstico, método de diagnósticos, tratamento, tratamento do bruxismo (ranger dos dentes) e qual a relação que isso tem com as dores e cefaléias (dores de cabeça).


Além disso, pretende-se estabelecer uma parceria com o professor Sevensson e a Universidade de Aarhus com o objetivo de desenvolver trabalhos de projetos de pesquisa em conjunto, inclusive alguns deles com o uso de aparelhos para o controle de atividades como o bruxismo. 

 

Segundo o professor Paulo Conti, Dores Orofaciais é uma área da odontologia muito ampla e que envolve métodos de detecção destas doenças e a melhor abordagem para o seu tratamento.


Esta área envolve o estudo de todas as dores dos pacientes que apertam, rangem os dentes e tem dores na face ao acordar. Pessoas que tem dores na face devido a problemas de neurologia, neralgias do trigêmio, conhecidas como aqueles choques na face. E também pacientes que apresentam a coexistência, ou seja, a existência conjunta de dores na face e as dores de cabeça, as cefaléias.


Disfunção Temporomandibular (DTM)


Dentre os diversos tipos de dores orofaciais existe a Disfunção Temporomandibular (DTM), que se manifesta pelo bruxismo (apertamento dos dentes), ocasionando fraturas nos dentes, dores de cabeça, entre outros sintomas. Paulo Conti afirma que em média 20% da população tem algum sintoma de DTM, sofrendo estes desconfortos.
 

Há pelo menos 2 anos, em vários países da Europa, pessoas que sofrem com DTM tem agora à sua disposição um aparelho denominado grindcare (tratamento do ranger dos dentes). O grindcare é um aparelho que foi desenvolvido para auxiliar no controle do bruxismo, ou seja, o ranger dos dentes noturno.


A pessoa está dormindo e perde o controle sobre o ranger dos dentes, que é bastante nocivo, porque eles se desgatam e há também uma fadiga na musculatura da mastigação e na articulação que se tornam doloridas.
 

A ação do grindcare acontece por meio de um dispositivo do tamanho de um celular com um fio, e toda vez que a pessoa aperta os dentes e o aparelho capta esse grau de apertamento, ele emite um sinal como se fosse um "pequeno beliscão" no indivíduo. Com o passar dos dias e meses a pessoa aprende de uma maneira involuntária que apertar os dentes provoca este tipo de reação e deixa de apertar.
 

Para o professor da FOB este é um estímulo diferente. O cérebro humano funciona desta maneira: eu tenho uma atividade "x" e toda a atividade é influenciada por outros estímulos. Então estes estímulos na região do nervo trigêmio da face tendem a confundir o cérebro.


Com isso, se eu tenho um estímulo e eu não ranjo os dentes, com o tempo eu vou aprendendo. Isto se chama biofeedback (aprendizado), treinamento e aprendizado, nesse caso involuntário do paciente. A vantagem é que o paciente não acorda por ser em nível de sono e o estímulo não é doloroso.
 

O professor Conti informa que a faculdade já tem projetos de pesquisa aprovados pelo Comitê de Ética da FOB, aguardando a presença do professor Svensson demonstrar o uso deste aparelho para começar a utilizá-lo na USP. Por outro lado, este aparelho ainda não está disponível no Brasil para venda.


Já existem trabalhos publicados na literatura que comprovam a eficácia do uso deste aparelho, em especial para pessoas que não se adaptam a placa de mordida. Em vista disso, o objetivo é desenvolver pesquisas na FOB que possam comprovar a real eficácia do grindcare.
 

Informações sobre o aparelho podem ser obtidas no site: www.grindcare.com da empresa dinamarquesa Medotech.

Foto: Paulo Conti e Peter Svensson

imprimir





 Envie sua sugestão de notícia