Fale Conosco

Conteúdo atualizado em 19.03.2020


O nome da rua da FOB

Luís Victorelli
15/02/2011

O nome da rua da FOB

Diariamente centenas de professores, funcionários, alunos, visitantes e usuários do campus da USP em Bauru chegam até o número 9-75 da Alameda Dr. Octávio Pinheiro Brisolla. Outros milhares circulam pela avenida que leva até a Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (FOB-USP), mas é possível que nem todos saibam quem foi Octávio Pinheiro Brisolla.

 

“É lembrado como advogado dos menos favorecidos, o jornalista das grandes campanhas populares e o político atuante, enérgico, incorruptível, levado sempre pelo idealismo”, assim é definido pelo “O Desafio”, publicação da Academia Bauruense de Letras, edição do bimestre fevereiro/março de 2011. Leia a íntegra do texto que reproduzimos a seguir:

 

OCTÁVIO PINHEIRO BRISOLLA
(Político, jornalista, professor e advogado)

 

Filho de Octaviano Martins Brisolla e de Francisca Pinheiro Brisolla, nasceu em 02 de setembro de 1892 na cidade de Lençóis Paulista SP. Estudou no Colégio Arquidiocesano de São Paulo, depois no Ginásio de Estado e finalmente na Faculdade de Direito do largo de São Francisco (19/10/1914).

 

Veio para Bauru em 1915 para advogar e tornou-se diretor o Jornal “O Comércio de Bauru” de Eduardo Vergueiro de Lorena. Em 1818 foi vereador, eleito prefeito pela Câmara Municipal, permanecendo no cargo até 1921, ano em que fundou o jornal ‘Bauru Jornal’. Abraçou os ideais revolucionários chefiado por Isidoro Dias Lopes em 1924. Sufocado o movimento, exilou-se na Argentina até 1926. Tornou-se jornalista na cidade de Posadas e ganhou o Prêmio de poesia nacional nos Jogos Florais com o soneto “El dolor de amar”.

 

Em São Paulo no ano de 1930, participa do movimento que levou Getúlio Vargas ao poder. Entre outros cargos que ocupou na capital, foi o de diretor do Instituto Disciplinar (que cuidava de menores delinqüentes). Fundou em 1936 ‘Jornal do Interior’, que seria extinto em 1942. É novamente eleito prefeito de Bauru em 1947, agora pelo voto direto. Eleito em 1963 com grande número de votos para Deputado Federal. Faleceu em 10 de outubro de 1970, aos 78 anos, dos quais 55 foram dedicados à nossa cidade.

 

Absolutamente honesto e idealista, grande orador, jornalista, poeta e advogado, sempre se mostrando senhor do idioma. Foi professor na ITE (Instituto Toledo de Ensino) durante 11 anos.

 

Intencionava construir o Teatro Municipal ainda nos anos 10, entre seus sonhos que não chegou a realizar, também estava o de fundar a Academia Bauruense de Letras. É lembrado como advogado dos menos favorecidos, o jornalista das grandes campanhas populares e o político atuante, enérgico, incorruptível, levado sempre pelo idealismo.

 

Na mocidade e durante toda sua vida, teve forte personalidade, mas sempre usava a palavra e o olhar para convencer o oponente.

 

Octávio Pinheiro Brisolla, é o nome de uma das principais alamedas da cidade na vila Universitária de Bauru, onde se localiza a USP (Odonto). Em 1993, com a fundação da Academia Bauruense de Letras, tornou-se patrono da cadeira no. 7). O Desafio, Ano 17, Ed. 33, pág. 3.

imprimir





 Envie sua sugestão de notícia